STML - Desde 1977 a lutar pelos trabalhadores
Entrada Acção Sindical
Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar toca a todos Versão para impressão Enviar por E-mail
Segunda, 15 Dezembro 2014 16:27

Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar toca a todos - foto carrinhos de bebe reduzidoAs três organizações específicas da CGTP-IN (CIMH, Inter-Reformados e InterJovem) organizaram, no dia 10 de Dezembro, a Acção Pública "Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar", enquadrada no âmbito do "Ano Europeu da conciliação entre a vida profissional e a vida familiar".
Foi numa das mais movimentadas ruas do Chiado, a Rua do Carmo, que muitos dos transeuntes, alguns até estrangeiros, se juntaram a trabalhadores e activistas sindicais da CGTP-IN para ouvir experiências e relatos de casos reais de ataques patronais ao direito de conciliação entre a vida profissional e a vida familiar, bem como, desfechos positivos que resultaram da resistência e luta dos trabalhadores que afrontando as suas entidades patronais exigiram o cumprimento dos seus direitos.
Essas experiências tocantes trazidas pelos trabalhadores, às quais muitos daqueles que passeavam pela rua não ficaram indiferentes, transportaram para a praça pública um tema por vezes encoberto e ignorado mas que afecta profundamente a vida dos trabalhadores e das suas famílias. Porque toca a todos, também os reformados do STML não deixaram de estar presentes.

 IR-Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar toca a todos reduzido

Ver galeira de fotos aqui!

Ver o vídeo aqui!

 

 

 

Inter reformadosstml90x90

 

 
Acção Pública "Ano Europeu da Conciliação entre a Vida Profissional e a Vida Familiar" Versão para impressão Enviar por E-mail
Quinta, 04 Dezembro 2014 11:35

Accao Publica 10 Dezembro

No próximo dia 10 de Dezembro, pelas 15H00, terá início, na Rua do Carmo (junto ao Rossio), uma Acção Pública no quadro do "Ano europeu da conciliação entre a vida profissional e a vida familiar". É uma iniciativa conjunta das três organizações específicas da CGTP: CIMH, InterJovem e InterReformados.

Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar reduzidoO lema será: "Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar" e pretende-se trazer para a praça pública, experiências e relatos de casos reais de ataques patronais ao direito de conciliação trabalho/família, bem como divulgar desfechos positivos e valorizar vitórias alcançadas com a intervenção sindical, tendo presente que de entre os vários obstáculos à conciliação, surge a ofensiva patronal e governamental em relação aos horários de trabalho.

Num momento em que a questão da Natalidade está na ordem do dia e em relação à qual a CGTP-IN já assumiu a sua posição pública ("18 linhas de força para uma política de promoção da natalidade ", 14 de Julho de 2014), esta Acção Pública assume uma importância acrescida.

 

Ver Manifesto aqui!

 
Grupos parlamentares recebem a Comissão Nacional de Aposentados da Frente Comum Versão para impressão Enviar por E-mail
Terça, 02 Dezembro 2014 15:25

A Comissão Nacional de Aposentados da Frente Comum solicitou, no início de Novembro, audiências a todos os grupos parlamentares, para expor as preocupações dos aposentados em face do Orçamento de Estado para 2015, bem como as questões relativas ao método de cálculo das pensões de aposentação praticado pela CGA, nos termos expostos à Provedoria de Justiça.

 

 aposentados em protesto reduzidoparlamento reduzido

 

 

 

Síntese das reuniões com os grupos parlamentares aqui.

 

Logo reformadosstml90x90

 

 
25 de Novembro 2014 - Marcha Nacional Versão para impressão Enviar por E-mail
Quinta, 20 Novembro 2014 10:38

Logo IR cgtpA direita que nos desgoverna, prepara-se para impor aos trabalhadores e a quem já trabalhou toda uma vida, mais um Orçamento de Estado de austeridade que mantém o caminho do empobrecimento, destruição da economia e das Funções Sociais do Estado.
Nós reformados, na primeira linha dos agredidos por estas políticas de autêntico terrorismo social, temos de participar activamente na Grande Marcha promovida pela CGTP, que tendo sido iniciada a 21 de Novembro, culminará em Lisboa com uma Manifestação frente à Assembleia da República a 25 de Novembro, dia em que a maioria de direita pretende fazer aprovar o OE 2015.

 

O local de pré-concentração dos manifestantes de Lisboa é no Campo das Cebolas às 09h30. A chegada a S. Bento será às 11h00.

 

Ver Comunicado da Inter-Reformados de Lisboa.

 

Inter reformadosstml90x90

 
31 de Outubro - Manifestação dos Trabalhadores da Administração Pública Versão para impressão Enviar por E-mail
Quinta, 06 Novembro 2014 14:46

Reformados em manifestacao reduzido

 

No dia em que a maioria de direita aprovou, na generalidade, a proposta do OE 2015, milhares de trabalhadores e aposentados, mobilizados pela Frente Comum e seus sindicatos, saíram à rua para protestar contra as políticas aplicadas ao nosso sector e exigir a demissão do Governo.

A Comissão de Reformados, junto ao nosso Sindicato e aos Aposentados da AP, desfilou desde o Marquês de Pombal até à Assembleia da República, protestando contra a manutenção dos cortes salariais, o congelamento das pensões e a não reposição das pensões roubadas, o aumento do horário de trabalho e a degradação e privatização de serviços públicos.

 

 

 

 

Logo reformadosstml90x90

 
Vergonha Nacional: O Roubo aos Aposentados da Administração Pública continua! Versão para impressão Enviar por E-mail
Segunda, 27 Outubro 2014 10:10

stml90x90logo frente comumOs aposentados da Administração Pública irão continuar a ser vítimas da política de austeridade, se o OE/2015 apresentado pelo governo do PSD/CDS for aprovado.

O Orçamento para o próximo ano deveria conter propostas de reposição daquilo que foi roubado aos trabalhadores e aos aposentados, em matéria de salários e pensões, tendo em conta que o chamado programa de assistência financeira chegou ao fim no passado mês de Junho!

 

Ao contrário do que o Governo prometeu, quer continuar a mesma política de direita:

  • Através da imposição de uma brutal carga fiscal, cuja aplicação aos aposentados faz com que recebam, em média, menos que o valor de um subsídio e meio de férias por ano;
  • A manutenção do congelamento das pensões, já que apenas os dois escalões mais baixos das pensões mínimas poderão ter um aumento de 2.70 euros mensais (não dá para comprar uma carcaça por dia!), enquanto reduzem o IRC em 2% para as empresas;
  • A saúde, transformada num chorudo negócio para os grandes grupos económicos, é cada vez menos acessível e mais cara - as taxas moderadoras nos Hospitais podem chegar até aos 50 euros!
  • Os descontos para a ADSE, que no prazo de um ano aumentaram 133% - de 1,5% para 3,5% - reduziram ainda mais os rendimentos dos aposentados e os benefícios deste subsistema de saúde, que os trabalhadores no ativo e aposentados pagam integralmente, continuam a ser reduzidos.
Continuar...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 9 de 19