STML - Desde 1977 a lutar pelos trabalhadores
Entrada Comunicados Comunicados 2016 Aos trabalhadores da Junta de Freguesia de Campolide
Aos trabalhadores da Junta de Freguesia de Campolide Versão para impressão Enviar por E-mail
Segunda, 04 Julho 2016 13:56

stml90x90A 13 de Maio, o STML entregou ao Presidente André Couto o Caderno Reivindicativo onde constam os vários problemas identificados pelo Sindicato das reuniões produzidas com os trabalhadores da limpeza urbana. Nesse mesmo dia, entregámos igualmente o abaixo-assinado, subscrito pela imensa maioria dos trabalhadores deste setor profissional, exigindo "Respeito pelos seus interesses e o cumprimento na íntegra das imposições legais sobre mobilidade entre locais de trabalho".

Da entrega e conversa sobre este abaixo-assinado, o STML, através de comunicado, afirmou então positivamente perante os seus associados, a "aceitação pacífica desta exigência dos trabalhadores pelo Presidente da Junta de Freguesia, considerando legítimas e perfeitamente justas as suas reivindicações, concordando inclusive com as razões que motivaram o referido abaixo-assinado".

Contudo, na reunião realizada a 30 de Junho, da qual damos agora conta, o Presidente da Junta de Campolide mostrou um desagrado incompreensível, sustentado no facto do Sindicato ter dado a conhecer aos seus associados, que legitimamente representa, os conteúdos da reunião realizada em Maio. Ora, será necessário relembrar que o STML presta contas – como responsabilidade e obrigação - aos seus associados e não à Junta de Freguesia.

Neste sentido, procurando não alimentar discussões estéreis que no essencial procuram criar problemas onde eles não existem, foi possível discutir mesmo que brevemente, os vários problemas, estes reais, que discriminámos no Caderno Reivindicativo.

Assim,

Sobre a regularização dos trabalhadores a recibos-verdes, foi-nos comunicado que estão em desenvolvimento concursos públicos com vista à celebração de CTFP por tempo indeterminado. Restou apenas saber se estes concursos irão incluir, ou não, os trabalhadores precários que atualmente estão afetos à limpeza urbana.

Refere o Sr. Presidente que neste momento, não estão comtemplados a resolução dos processos de mobilidade intercategoriais e/ou intercarreiras.

Observa que não se justifica a criação de uma reserva (stock) de fardamentos e equipamentos de proteção individual, considerando que a empresa contratada para fornecer este tipo de material, tem até agora dado uma resposta positiva.

Foi valorizado a aquisição de uma nova viatura que favorece os trabalhos de limpeza nas ruas mais íngremes da freguesia.

Refere que no Posto de Campolide não há condições para alargar o refeitório existente, exíguo face ao atual número de trabalhadores. Equacionam contudo uma solução para toda a freguesia, não explicitando para quem, como, quando ou onde.

Irão avaliar a possibilidade de uma resposta positiva ao problema de falta de secadores nos dois postos de limpeza.

Apesar das particularidades que marcaram esta reunião, pouco recomendáveis em encontros de natureza formal e institucional, o STML continuará a acompanhar os problemas que afetam os trabalhadores da Limpeza Urbana da Junta de Campolide, exigindo sempre que oportuno as necessárias reuniões ao respetivo executivo procurando a sua resolução.

Informados e unidos em torno do nosso Sindicato, somos e sempre seremos mais fortes!

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar