STML - Desde 1977 a lutar pelos trabalhadores
Entrada Comunicados Comunicados 2016 Aos trabalhadores da Junta de Feguesia de Carnide
Aos trabalhadores da Junta de Feguesia de Carnide Versão para impressão Enviar por E-mail
Segunda, 08 Agosto 2016 10:12

stml90x90Nos últimos meses e como resultado dos plenários, visitas e contactos realizados com os trabalhadores dos mais variados setores profissionais da Junta de Freguesia de Carnide, foi possível concluir o respetivo Caderno Reivindicativo, apresentado pelo STML ao Executivo liderado pelo Presidente Fábio Sousa na reunião do passado dia 27 de Julho. Damos agora conta dos principais assuntos debatidos.

Assim;

  1. Ficou assumido por parte da Junta de Freguesia a conclusão dos processos de concurso público de contratação de pessoal, que procurará regularizar até ao final deste ano, a situação laboral de todos os trabalhadores com vínculo precário;
  2. Foi-nos informado que está em fase de conclusão o processo de aquisição do fardamento para os assistentes operacionais. Por outro lado, está-se a avaliar também a aquisição de fardamento para os assistentes técnicos que prestam serviço de atendimento ao público;
  3. Sobre o Direito e o acesso à Medicina no Trabalho, concretamente quem o deve facultar, o Presidente de Carnide comprometeu-se em auscultar os trabalhadores. O objetivo é saber se querem ser acompanhados pela empresa contratada pela junta ou pela Medicina do Trabalho da Câmara Municipal de Lisboa.

Realçamos e valorizamos a abertura demonstrada pelos responsáveis da Junta de Freguesia aos diversos problemas inscritos no Caderno Reivindicativo, perspetivando-se inclusive a resolução a breve trecho de algumas das reivindicações apresentadas. Contudo, face à natureza complexa de muitas outras situações, às quais urge dar uma resposta concreta e positiva, ficou já agendada uma nova reunião para o mês de Setembro.

O STML continuará a acompanhar os trabalhadores de Carnide e os seus problemas, exigindo a sua resolução com responsabilidade, honestidade e seriedade. Relembramos ainda que respeitar os seus direitos e proporcionar melhores condições de trabalho, é um caminho indispensável à salvaguarda de um serviço público de qualidade, eficiente e económico